AVEIA: O GRÃO INJUSTIÇADO

Goût Rafinné

Alguns estudos garantem que a aveia é segura para a maioria dos pacientes com doença celíaca. Agora que você sabe a diferença entre os glúten, fica mais fácil de explicar.

Como você viu, a aveia contém avenina, que possui sequências de aminoácidos similares às da gliadina do trigo e isso pode evocar uma resposta autoimune em alguns celíacos.
A toxibilidade não é a mesma em todas as variedades de aveia e hoje não há maneira de prever com antecedência quais os celíacos que vão ou não ser capazes de consumir com sucesso a aveia.

Porém, é preciso se atentar aos rótulos. A aveia comum sofre contaminação cruzada porque normalmente é cultivada no mesmo terreno que o trigo, centeio e cevada, em um processo chamado de rotação.
Além disso, a aveia ainda pode ser contaminada durante o transporte e durante o processamento.

O processo de moagem da aveia, se realizado no mesmo equipamento utilizado para moer o trigo, centeio ou cevada, acaba contaminando a aveia com o glúten.
No Brasil, a única aveia sem glúten certificada é a Monana.
Mas mesmo com essa possibilidade, a maioria das grandes sociedades celíacas e centros de tratamento aconselha aos pacientes com a doença adicionarem quantidades limitadas de aveia pura, não contaminada, em sua dieta, sob supervisão de um médico.

By Guia da Boa Forma, O que é o glúten afinal?